Radialistas da RedeTV! podem entrar em greve a partir desta segunda-feira

Por Redação - Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

Em 2019, resistência de jornalistas e radialistas faz RedeTV recuar de decisão de corte salarialEm 2019, resistência de jornalistas e radialistas faz RedeTV recuar de decisão de corte salarial

Cinegrafistas, operadores de vídeo, produtores, editores de imagem, advogados, trabalhadores de recursos humanos, secretários, secretárias, copeiras, faxineiras, seguranças e até professores de educação física da RedeTV! podem entrar em greve a partir desta segunda-feira, 30 de agosto. Todos esses trabalhadores são registrados como radialistas, mesmo que muitos não desempenhem funções da categoria.

Nesta segunda-feira, às 14h, os profissionais estarão reunidos em assembleia que será realizada em frente à emissora, para votarem a aprovação de uma greve por tempo indeterminado.

Faz quatro anos que os funcionários vinculados aos radialistas não têm qualquer reajuste ou abono. Os salários, entre os menores do mercado, estão corroídos pela alta de preços. A inflação oficial, medida no período de maio de 2017 a abril de 2021, é de 18, 72%. Se contar a forte aceleração do índice nos últimos quatro meses, o aumento no custo de vida é ainda maior.

Para piorar, durante oito meses do ano passado, os empregados da empresa tiveram os salários reduzidos em 25% por meio do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda do governo federal. A RedeTV! usou o programa do governo mesmo com as demonstrações notórias e públicas de ganhos publicitários nos últimos três anos.

Nesse período, além dos sorteios de prêmios que ajudam a manter a receita da RedeTV!, a emissora fechou contratos milionários com a Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Petrobras, Ministério da Saúde, Ministério da Educação, governo do estado de São Paulo e outras importantes instituições públicas. A RedeTV! também recebeu investimentos milionários do Bradesco, Itaú, Facebook, Ultrafarma, Vivo, Casas Bahia, Sky Pré-Pago, Bigtrail e Cartão de Todos. Tem ainda os merchants e os horários vendidos a igrejas neopentecostais.

Em março deste ano, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) obteve vitória na Justiça ao requerer o direito e ter acesso aos balancetes e balanços patrimoniais que comprovassem as alegadas dificuldades financeiras da emissora

A RedeTV! chegou a ser, até os primeiros meses deste ano, a maior emissora no YouTube no mundo. Atingiu o número de 10 milhões de seguidores no Facebook. A própria empresa postou os resultados de seu desempenho na internet. “De novembro de 2017 a julho de 2020, são mais de 6,8 bilhões de visualizações de vídeos e mais de 9,8 bilhões de minutos visualizados no canal principal da emissora, o facebook.com/RedeTV!.” Tudo isso significa dinheiro em caixa.

Mesmo assim, a empresa é a única, dentre as médias e maiores redes do país, que não reajusta os salários dos radialistas desde 2017. Pratica vencimentos menores até do que o das emissoras do interior do estado de São Paulo

Até hoje a RedeTV! paga o salário base da convenção de 2016/2018, que é o de R$ 1.612,88, para trabalhadores que estão sendo admitidos nas funções básicas. Os trabalhadores não recebem reajustes nas cláusulas econômicas desde 2017 e nem sequer o vale refeição foi reajustado.

Um operador de câmera na RedeTV! recebe em média um salário base de R$ 2.000. Nas outras emissoras, a média é de R$ 3.200. Ou seja, o salário pago é em média 62% menor que nas outras emissoras. Na RIT TV, por exemplo, um operador de câmera inicia na empresa recebendo R$ 3.400.

Por serem os radialistas a categoria predominante na RedeTV!, todos os trabalhadores, exceto jornalistas, são beneficiados pela Convenção Coletiva dessa categoria.

Após os radialistas aprovarem no dia 23, em assembleia realizada em frente à emissora, o “estado de greve” (o que abre um prazo de 48 horas para que a emissora tente um acordo, caso contrário a categoria pode iniciar legalmente uma paralisação), uma proposta de reajuste salarial e renovação da Convenção Coletiva de Trabalho foi enviada pelo Sindicato dos Trabalhadores em empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo e protocolada na RedeTV!.

A proposta, que já foi aprovada por várias outras empresas de radiodifusão, é a seguinte:

01 – Reajuste Salarial de 18,72%, aplicado sobre o salário e demais cláusulas econômicas vigentes em maio de 2.017;

02- Abono salarial equivalente à 353,89% de uma remuneração;

03- Manutenção de todas as cláusulas sociais constantes da última Convenção Coletiva assinada – 2.016/2018.

Televisão é um trabalho coletivo. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo apoia a categoria dos radialistas e se junta ao Sindicato dos Trabalhadores de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo na luta pela recomposição dos salários e na conquista de direitos negados pelos patrões da RedeTV!.