Jornais e revistas da capital: Patrões não apresentam proposta na primeira mesa de negociação

A primeira mesa de negociação na campanha salarial de jornais e revistas da capital, realizada nesta quarta-feira (15), não resultou em nenhuma proposta do patronal. Alegando dificuldades do setor para conceder reajustes, as empresas afirmam não ter chegado a um consenso e, por isso, marcaram nova mesa para 29 de junho.

A avaliação do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo é negativa, uma vez que a data proposta pelas empresas é próxima a folha de pagamento. A recomendação do Sindicato para que a categoria conquiste o reajuste é a mobilização de todos.

“Precisamos nos mobilizar e fazer nossa próxima assembleia da campanha salarial. Lembro que os colegas do Rio de Janeiro vivem uma campanha muito difícil no mesmo segmento, mas seguem mobilizados. Neste momento, precisaremos somar forças com os colegas do Rio e do Distrito Federal para ter vitória como tivemos no ano passado”, reiterou o presidente do SJSP, Thiago Tanji.

Durante a negociação, o Sindicato contra-argumentou as empresas e reiterou que, com a inflação alta, os jornalistas já sofrem com a perda do poder de compra, por isso, garantir o reajuste dos salários é uma questão de sobrevivência. A categoria reivindica a inflação (11,90%) mais 3% de aumento real.

Na próxima semana, as empresas informaram que irão se reunir mais vezes para apresentar uma proposta na próxima mesa de negociação.