Dracena: morre o jornalista Antônio Carlos Malheiros

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo lamenta informar o falecimento do jornalista Antônio Carlos Malheiros, vítima de complicações cardíacas....

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo lamenta informar o falecimento do jornalista Antônio Carlos Malheiros, vítima de complicações cardíacas. Ele era apresentador do programa Cidade Alerta da Rádio Regional de Dracena desde sua criação em 19 de abril de 1993. Foi após a apresentação do programa no dia 23 de fevereiro, que Malheiros teve uma parada cardíaca. Foi socorrido e permaneceu na UTI, onde faleceu nesta segunda-feira (5 de março).

Sua carreira começou na Rádio Nova Dracena (décadas de 70 e 80), passou pela Difusora (a partir de 1984) e Regional (desde 1985). Além de reportagens policiais, Malheiros integrou equipes de jornalismo e esportivas. Foi comentarista esportivo e repórter de campo. Ainda trabalhou no Jornal O Regional (década de 80), TV Educativa Regional e ajudou a criar o Novo Jornal (hoje Jornal Diário). Com seu trabalho em equipes esportivas, acompanhou jogos do extinto Dracena FC em diversas cidades paulistas entre 1982 e 1991.

Antônio Carlos Malheiros também fez carreira na Polícia Civil como escriturário a partir de maio de 1962 e escrivão até agosto de 1991. Trabalhou em inúmeros casos importantes e de repercussão e com todos os policiais da época na então Delegacia de Município, depois 1º Distrito Policial. Foi ainda apresentador de eventos da Polícia Civil, chefe dos escrivães e recebeu homenagem após sua aposentadoria na então Delegacia Regional de Polícia de Presidente Prudente. Foi ainda presidente da Loja Maçônica Patriarca da Independência.
Como atleta, Malheiros jogou em clubes locais e foi goleiro reserva do Dracena FC.
Malheiros sempre foi um apaixonado pela imprensa. Ele começou o trabalho com jornais na cidade e fazia boletins sobre ocorrências policiais em emissoras de rádio.

Ele nasceu em 11 de agosto de 1942 em Presidente Venceslau. Era filho único de Antonio Malheiros, que trabalhava como oficial de Justiça. A mãe era Joana Tacca Malheiros. A família morou muitos anos em São Paulo em função do trabalho do pai. Malheiros residiu, estudou e trabalhou na Capital. A mudança para Dracena ocorreu em 1966 em função do casamento em 9 de julho daquele ano com Amélia Dinaida Fabbro Malheiros. Deste casamento nasceram as filhas Karen e Hellen, gerando três netos.