Contra as demissões na Band Campinas, sindicatos e federações realizam protesto

 
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, através da Regional Campinas e o Sindicato dos Radialistas no Estado de São Paulo, com o apoio da...

 421931_351260258229921_100000378497848_1097046_307602888_n

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, através da Regional Campinas e o Sindicato dos Radialistas no Estado de São Paulo, com o apoio da Fenaj – Federação Nacional dos Jornalistas e da Fitert – Federação dos Radialistas, realizaram, na manhã de hoje, ato de protesto em frente à Band Campinas. O objetivo é denunciar a forma como estão ocorrendo as demissões na empresa e protestar contra o silêncio imposto pela direção da Band local, que se recusa a abrir canal de conversação com as entidades e divulgar o número real de demissões.

Nas últimas semanas a empresa demitiu trabalhadores – jornalistas e radialistas – mas sequer divulgou os números oficiais e não agendou nenhuma homologação na sede dos sindicatos. Numa reunião realizada a pedido dos sindicatos, na semana passada, o RH da empresa, informou que o motivo das demissões estar ocorrendo é devido há um “processo de reestruturação” de programação e divulgou um número oficial bem pequeno, que não chega nem perto do número que corre pelas redes sociais. As redes sociais e outros órgãos de comunicação divulgaram que as demissões podiam chegar perto de 17 trabalhadores – entre contratados e PJs.

As entidades sabem que os números divulgados oficialmente não condizem com as informações recebidas e que o real motivo das demissões também é outro: economia que está sendo paga às custas do emprego de quem faz a empresa crescer e faturar.

“O Sindicato dos Jornalistas e a Fenaj estranham muito as alegações de reestruturação e diminuição de custos da empresa, uma vez que o site da Abert (entidade das emissoras de rádios e tv) informa que a TV aberta foi o meio de comunicação que teve a maior participação em despesas com publicidade em 2011, com faturamento de R$ 19, 3 bilhões”, questionou a secretária de sindicalização do SJSP e vice-presidente sudeste da Fenaj, Márcia Quintanilha. 

A divulgação da Abert, como a dirigente sindical informou, vai mais além, e diz ainda que, em relação a 2010, o investimento publicitário na TV cresceu 25%, saltando de R$ 15,4 bilhões para R$ 19,3 bilhões e que o rádio atingiu 4% dos investimentos, totalizando um valor de R$ 1,2 bilhão. Também alcançaram essa margem a TV paga e a internet (4%).  Já o jornal ficou com 12% e revista faturou 8%.

Por isso são inaceitáveis os argumentos para as demissões, principalmente porque na sede da Band Campinas funciona, além da TV, a rádio Educadora AM, a Band News, Nativa FM e o jornal Metro. Um belo conglomerado de empresas que faturam muito bem, obrigado.

A manifestação contou também com a presença da diretora de base do SJSP, Fernanda de Freitas, com representantes do sindicato dos Radialistas na região de Campinas e da capital: José Luis Foga, Sérgio Ipoldo Guimarães, Edson Amaral, Jota Reis, entre outros. Foi distribuído um material conjunto e realizados vários discursos em carro de som. Estavam presentes para dar apoio ao ato, Jerry de Oliveira, da Abraço/SP; Regiane Muniz, representando o Sintpq – Sindicato dos Pesquisadores e o ex - vereador de Campinas, Paulo Búfalo (PSOL).

“A presença das entidades na porta da empresa é para reafirmar que os demitidos e os que continuam na empresa podem contar com este importante instrumento de luta e de proteção da categoria, que são seus sindicatos”, concluiu o diretor da Regional Campinas do SJSP, Agildo Nogueira Jr.