31º Congresso Mundial da FIJ começa em 31 de maio em Mascate (Omã)

Com apresentação de três moções, FENAJ estará representada por dois delegados

Por Redação - Fenaj

O 31º Congresso Mundial da Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) acontecerá de 31 de maio a 3 de junho de 2022 em Mascate, capital de Omã. Mais de 250 participantes representando sindicatos e associações de jornalistas de 92 países estarão presentes no Congresso. Os principais temas incluirão a vigilância de jornalistas e ações para acabar com a impunidade por crimes contra trabalhadores da mídia.

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) estará representada, tendo como delegados a presidenta, Maria José Braga, e o vice-presidente, Paulo Zocchi. A entidade apresentou três moções – “Apoio aos jornalistas brasileiros em luta em defesa da democracia e contra as agressões sistemáticas de Bolsonaro”; “Apoio ao jornalista brasileiro Rubens Valente em sua petição à Comissão Interamericana de Direitos Humanos” e “Campanha Internacional pela Vida e Liberdade de Assange”, que serão submetidas ao plenário do evento.

O Congresso Mundial, organizado pela Associação de Jornalistas de Omã (OJA), começará na terça-feira, 31 de maio, com uma pré-conferência envolvendo um debate de alto nível sobre o impacto da pandemia de Covid-19 no jornalismo, nas redações e nas ações dos afiliados da FIJ para salvar empregos e vidas nos últimos dois anos. O painel incluirá líderes sindicais de todos os continentes.

recém-eleito Conselho de Gênero da FIJ e seu Comitê Diretor conduzirão uma revisão de suas ações ao longo dos últimos três anos – incluindo campanhas para erradicar a violência contra mulheres jornalistas, reduzir a disparidade salarial entre homens e mulheres e promover o acesso das mulheres a cargos de liderança na mídia – e adotar um novo plano de ação.

Na quarta-feira, 1º de junho, os delegados se reunirão novamente em um debate inspirador sobre as melhores práticas do sindicalismo, destacando as vitórias dos sindicatos em salvar empregos, garantir a igualdade salarial e melhorar os salários e as condições de trabalho. Uma série de reuniões regionais para destacar áreas de preocupações comuns e construir a solidariedade regional acontecerá naquela tarde.

Para encerrar o dia, o Congresso sediará uma discussão sobre a impunidade para crimes contra jornalistas. O debate contará com familiares de jornalistas mortos que viajarão a Mascate para informar os delegados sobre seus casos e pedir apoio à sua luta por justiça.

O Congresso também realizará uma sessão especial para marcar o 30º aniversário do Fundo Internacional de Segurança, analisando momentos históricos nas últimas três décadas, quando o fundo forneceu apoio fundamental a jornalistas em risco.

Jornalismo em crise

Os últimos três anos foram especialmente desafiadores para jornalistas de todo o mundo. A violência contra jornalistas aumentou em todo o mundo, com quatro países no epicentro: Afeganistão, México, Iêmen e Ucrânia.

Líderes sindicais e jornalistas desses países se reunirão para relatar em primeira mão suas experiências no terreno em uma sessão especial sobre o jornalismo na linha de fogo.

Moldando o futuro

Os delegados também debaterão e aprovarão o programa de trabalho 2022-2025 da FIJ. Trinta e quatro moções foram apresentadas para debate, incluindo moções pedindo ações sobre igualdade de gênero na mídia, a promoção da Convenção das Nações Unidas sobre a Segurança e Proteção de Jornalistas, a necessidade de regulamentar a venda e uso de spyware, a condenação dos ataques contra os jornalistas e a liberdade de imprensa em vários países, incluindo a Ucrânia, o Iémen e o Afeganistão, e um apelo à libertação imediata dos jornalistas detidos por cumprirem o seu trabalho.

Finalmente, os delegados elegerão um novo Comitê Executivo da FIJ e cinco oficiais seniores, incluindo o presidente. Os delegados da FIJ da Ásia-Pacífico lançarão seu novo grupo regional, a FAPAJ (Federação de Jornalistas da Ásia-Pacífico), o quarto grupo regional da FIJ depois da Federação Europeia de Jornalistas, da Federação de Jornalistas Africanos (FAJ) e da FEPALC (Federación de Periodistas de América Latina e Caribe).

O presidente da FIJ, Younes Mjahed, disse: “O Congresso trienal da FIJ permite que os afiliados se reúnam, discutam o programa de trabalho da FIJ e elejam um novo Comitê Executivo e uma nova liderança. Este Congresso ocorre em um momento particularmente sensível para o jornalismo, com guerras em vários países, crescente vigilância dos trabalhadores da mídia e redações que ainda sofrem as consequências da pandemia de Covid. Acreditamos que este Congresso nos fornecerá um roteiro claro para enfrentar esses desafios e fortalecer a capacidade da FIJ de apoiar seus membros em todo o mundo”.

A última agenda do Congresso está disponível aqui.