Apoie os grevistas da RAC; paralisação completa mais de 200 dias

Participe do abaixo-assinado e colabore com o fundo de greve

Por Flaviana Serafim - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

2A greve dos jornalistas do Correio Popular, de Campinas, completou 218 dias neste 20 de setembro e os profissionais estão sem salários desde fevereiro, quando cruzaram os braços após dois anos enfrentando constantes atrasos de pagamento pela Rede Anhanguera de Comunicação (RAC). A greve é a maior da história do jornalismo no estado de São Paulo.

Por unanimidade, a paralisação foi considerada legítima pelo Tribunal Regional da 15ª Regional (TRT15-Campinas), em julgamento no último dia 9 de maio, que também determinou o pagamento da dívida pela empresa. Quando terminou o prazo para quitação dos débitos com os grevistas, em 24 de maio, em vez de cumprir a decisão judicial, a RAC solicitou embargos de declaração, instrumento jurídico no qual a rede pede esclarecimentos sobre a sentença, o que fez com que, na prática, a empresa ganhasse tempo para protelar os pagamentos.

A RAC deve os salários que estão em aberto desde fevereiro, o 13º de 2017, o adicional de um terço aos que saíram de férias nos últimos dois anos, seis meses de vale alimentação, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e contribuições previdenciárias, além dos dias parados durante a greve.

Por isso, o apoio e a solidariedade da categoria continuam sendo fundamentais para que os jornalistas da RAC continuem lutando para receber seus salários. São várias as formas de colaborar:

Apoie o abaixo-assinado: os jornalistas estão realizando um abaixo-assinado pela internet solicitando à Associação Brasileira de Imprensa (ABI) que pressione a RAC a cumprir a sentença que determina a quitação dos pagamentos em atraso ou para que a empresa ao menos dialogue e negocie com seus profissionais. Para assinar, clique aqui

Colabore com o fundo de greve: para colaborar com o pagamento de despesas emergenciais dos grevistas, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) tem um fundo de greve onde é possível depositar qualquer quantia. A gestão dos recursos é feita pelos próprios grevistas. Basta depositar ou fazer transferência bancária para a seguinte conta:

Caixa Econômica Federal
Agência 4070
Conta corrente 1143-3
(caso o depósito ou transferência seja entre contas da Caixa, o código da operação é 003)
Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
CNPJ 62.584.230.0001-00

Outra forma de colaborar com o fundo de greve é doando cesta básica na sede da Regional Campinas do SJSP, que fica na Rua Dr. Quirino nº 1319, 9° andar, no centro campineiro.

Entenda do caso

Proprietária dos jornais Correio Popular, Notícias Já e Gazeta de Piracicaba, das revistas Metrópole e VCP News, e do portal RAC.com, a Rede Anhanguera de Comunicação vem atrasado os pagamentos de salários, benefícios e férias desde o final de 2015.

Desde então, os jornalistas têm sofrido com a crise financeira, o que levou vários profissionais a se endividarem para continuar sobrevivendo, além de casos de adoecimento na redação, com estresse e depressão.

Após várias tentativas de negociação, a empresa manteve a intransigência e a greve, iniciada no último dia 14 de fevereiro, foi a única alternativa dos profissionais para pressionar a rede de comunicação. Outra paralisação, em junho de 2017, já havia arrancado um acordo no TRT15-Campinas, prevendo o pagamento semanal de 25% dos salários como forma de reduzir a dívida, mas a RAC descumpriu a sentença.

Além de não pagar o que deve aos trabalhadores e trabalhadoras, a RAC está descontando os dias parados e não paga os vales refeição e alimentação dos grevistas. Entre outras irregularidades, conforme denúncia recebida pelo SJSP, a rede ainda está contratando jornalistas e colocando estagiários para cobrir o trabalho dos grevistas, ilegalidades que caracterizam prática antissindical.

Enquanto a rede alega falta de recursos para continuar atrasando os pagamentos, outra denúncia é que o proprietário da rede, o diretor-presidente da RAC, Silvino de Godoy, segue com viagens habituais a passeio pela Europa. 

Diante da intransigência e do desrespeito da RAC, a solidariedade é o caminho para a sobrevivência da greve e dos jornalistas. 

Leia mais sobre a greve dos jornalistas da Rede Anhanguera de Comunicação:
Campinas: grevistas da RAC realizam protesto
Rádio Brasil Atual destaca greve na Rede Anhanguera de Comunicação
Grevistas da RAC promovem Feijoada Solidária no dia 21
Correio Popular: RAC suspende plano de saúde
Greve no Correio Popular: jornalistas fazem abaixo-assinado para pressionar empresa
Correio Popular: greve completa 100 dias e jornalistas contam com apoio da categoria
RAC tem cinco dias para quitar dívida com jornalistas
Grevistas do Correio Popular conquistam vitória no TRT
Maio tem Bazar da Amizade em prol dos grevistas da RAC
Jornal Unidade destaca greve histórica na RAC
Colabore com o fundo de greve dos jornalistas da RAC
Greve completa 80 dias no Correio Popular
Jornalistas esperam decisão judicial para receber salários atrasados
Greve na RAC: Bazar da Amizade até o final de abril
Jornalistas da RAC protestam contra atrasos de pagamentos
Greve na RAC: jornalistas cobram celeridade no julgamento
Greve na RAC não é abusiva, afirma MPT
Correio Popular: pela segunda semana, RAC não paga trabalhadores
RAC descumpre acordo outra vez e não paga trabalhadores
Greve na RAC: Bazar da Amizade é até sábado (24)
"Som da Resistência" em apoio aos grevistas da RAC é nesta segunda (19)
Correio Popular: greve dos jornalistas completa um mês
Correio Popular: jornalistas continuam em greve após 24 dias
Jornalistas da RAC fazem bazar com arrecadação ao fundo de greve
Greve completa 20 dias no Correio Popular; salários estão em aberto desde dezembro
Audiência de greve do Correio Popular termina sem acordo
Apoio e solidariedade marcam “galinhada” dos grevistas da RAC
Crescem apoio e solidariedade aos grevistas da RAC
Vereadores de Campinas apoiam jornalistas em greve na RAC