RAC descumpre promessa novamente e greve continua

Rede Anhanguera de Comunicação prometeu quitar salário de novembro e parte do salário de dezembro neste dia 23/02, mas deixou trabalhadores mais uma vez sem pagamento

Por Flaviana Serafim - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

A Rede Anhanguera de Comunicação (RAC), responsável pelos jornais Correio Popular, Gazeta de Piracicaba, pela revista VPC News e pelo portal RAC.com, entre outras mídias, novamente descumpre promessa feita aos seus trabalhadores e trabalhadoras.

No último dia 9, a direção da empresa enviou comunicado se comprometendo a pagar neste 23 de fevereiro o valor em aberto do salário de novembro passado, bem como o adiantamento referente a dezembro de 2017. Porém, os pagamentos não foram feitos e, em outra mensagem enviada aos empregados, o grupo de comunicação se limita a pedir “desculpas pelo ocorrido” e alega que o dinheiro de um empréstimo não foi liberado “por questões burocráticas da instituição bancária”.

Diante de mais essa promessa não cumprida pela rede, em assembleia em frente à RAC na tarde desta sexta-feira (23), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) conclamou os trabalhadores para que todos entrem em greve imediatamente, somando forças aos jornalistas, gráficos e administrativos que já estão de braços cruzados desde o último dia 14 devido aos salários em aberto há mais de três meses.

Apesar de a greve ter completado 10 dias, parte dos trabalhadores ainda não havia aderido ao movimento justificando que era preciso aguardar o pagamento prometido, mas com mais essa promessa foi descumprida, a expectativa do SJSP é que a adesão de grevistas cresça ainda mais.

Colabore com o fundo de greve dos jornalistas da RAC

Na assembleia, as categorias também debateram os rumos da mobilização, a audiência do dissídio de greve no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, que ocorre na quarta-feira (28), às 15h30, e também a realização da “Galinhada Solidária”, que ocorre no mesmo dia, a partir das 19h, no Projeto Saberes e Sabores, para arrecadação de recursos ao fundo de greve (saiba mais).

A RAC está devendo parte do salário de novembro, o de dezembro, janeiro, o adiantamento de fevereiro e mais seis meses de vales refeição e alimentação. O 13º do ano passado ainda não foi pago e quem sai de férias não está recebendo o adicional de um terço. Os atrasos frequentes de pagamentos ocorrem há dois anos. 

Solidariedade da população e do parlamento de Campinas

Enquanto a RAC segue desrespeitando seus próprios trabalhadores e trabalhadoras, a população campineira expressou sua solidariedade fazendo doação de 100 kg de alimentos para cestas básicas e de dinheiro ao fundo de greve, criado pelo sindicato para contribuir com o pagamento de despesas emergenciais dos grevistas.

Na última quarta-feira (21), sindicalistas da Regional Campinas do SJSP distribuíram as cestas aos grevistas, mas foi necessário um plano alternativo para garantir a chegada das doações, pois a RAC proibiu que a entrega fosse realizada dentro das dependências da empresa e ainda assediou trabalhadores para que não saíssem de dentro da rede para recebimento dos alimentos.

Além da população, diversos vereadores de Campinas enviaram vídeos prestando solidariedade aos grevistas, inclusive em pronunciamentos na tribuna da Câmara Municipal. A coordenação da CUT Campinas também enviou mensagem e colocou seus sindicatos filiados à disposição para apoiar a luta pelo pagamento de salários na RAC (leia mais em Crescem apoio e solidariedade aos grevistas da RAC)