Jornal Cruzeiro do Sul demite jornalistas por retaliação após Sindicato denunciar omissão da empresa diante de casos de Covid-19

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) recebeu com surpresa e indignação a atitude da direção do jornal Cruzeiro do Sul de demitir jornalistas no momento que está em andamento uma negociação entre as partes e a entidade sindical reivindica a adoção de medidas de segurança mais rígidas para proteger a vida dos jornalistas diante da confirmação de casos de trabalhadores do jornal com Covid-19.

“Nós estamos entendendo as demissões como uma retaliação e lamentamos profundamente que, em vez de adotar medidas adequadas para impedir a disseminação do novo coronavírus em suas dependências, a direção do jornal Cruzeiro do Sul prefira punir trabalhadores. A Fundação Ubaldino do Amaral (FUA), que tanto faz publicidade de suas ações em prol da sociedade sorocabana, demonstra com essa atitude sua total falta de responsabilidade social em plena crise sanitária mundial”, afirma a diretora da Regional Sorocaba do SJSP, Fabiana Caramez.

Na manhã desta sexta-feira, diretores do SJSP estiveram em reunião com o gestor administrativo e advogado da FUA, dr. Paulo Almeida, para tratar dos problemas levantados pela entidade e chegar a um consenso sobre as medidas que deveriam ser adotadas, como teletrabalho, equipamentos individuais de proteção adequados, limpeza efetiva e adequada do local de trabalho, testagem, adequação dos espaços físicos do jornal, entre outros.

"Na reunião tínhamos alinhado pontos e parecia que sairíamos acordado por melhorias a todos. Mas agora aparece essa notícia de demissões, o que é lamentável", diz o diretor da Regional Sorocaba do SJSP, Pedro Courbassier

O secretário de interior do Sindicato, José Eduardo de Souza, afirma que as demissões são inaceitáveis. “Nessa crise provocada pela pandemia, não aceitamos demissões. E a situação torna-se mais grave no momento em que o sindicato mantém diálogo com a empresa para solucionar os problemas”, reforçou.

O SJSP está tomando as medidas cabíveis para resguardar os jornalistas.

Entenda a situação

O SJSP foi acionado pela categoria após ter conhecimento de trabalhadores do jornal Cruzeiro do Sul terem testado positivo para Covid-19. No dia 22 de junho, um trabalhador do setor administrativo foi afastado após testar positivo para Covid-19; uma colega de trabalho dele foi afastada dia 1º após também testar positivo. Ela trabalhou normalmente até o dia 30; na semana anterior, uma funcionária do comercial passou mal nas dependências do jornal sendo, em seguida, afastada. No dia 1º, a funcionária confirmou o diagnóstico positivo para Covid-19.

Como a direção do jornal não emitiu comunicado oficial à redação explicando a situação ou quais medidas seriam adotadas diante desses casos de contaminação e, levando em consideração que a estrutura física do prédio que coloca os trabalhadores de todos os setores em permanente contato, o SJSP enviou ofício no dia 27 de junho solicitando uma reunião de urgência e a adoção de diversas medidas.