Greve de jornalistas da RAC termina após quase 8 meses de luta

Jornalistas voltaram à redação nesta quarta (10) após assinatura de acordo e do primeiro pagamento dos salários e benefícios atrasados

Por Flaviana Serafim - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

A greve dos jornalistas da Rede Anhanguera de Comunicação (RAC), de Campinas, terminou com a volta dos profissionais à redação nesta quarta-feira (10) após quase oito meses de luta contra os atrasos de salários, benefícios e férias.  Entre outros veículos, a empresa publica os jornais Correio Popular e Notícia Já, as revistas VCP News e Metrópole, e o portal RAC.com.

A paralisação é a uma das maiores da história do jornalismo no estado paulista. Foram 237 dias de mobilização, que começou em 14 de fevereiro depois de dois anos de constantes atrasos de pagamento, até que finalmente a empresa assumisse a dívida e assinasse um acordo para quitar o que deve com os trabalhadores e trabalhadoras.

A dívida envolve salários de abril a setembro deste ano mais o 13º de 2017, e o pagamento será em 20 parcelas mensais corrigidas pela inflação (INPC) do mês anterior. Foi definido um calendário para quitação dos débitos com todos os trabalhadores da empresa e há uma programação específica para equiparar os pagamentos no caso dos que aderiram ao movimento grevista. A RAC também se comprometeu a regularizar os depósitos do Fundo de Garantia, com atrasos desde 2014, por meio de parcelamento com a Caixa Econômica Federal.

O acordo, mediado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP), foi homologado na última quinta-feira (4) no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT15-Campinas), mas a volta à redação foi condicionada ao pagamento da primeira parcela da divida com os grevistas neste 10 de outubro. Além dos salários, benefícios e férias em atraso, outra vitória é que os jornalistas que aderiram à greve receberão pelos dias parados e têm três meses de estabilidade de emprego.

“Temos orgulho dessa turma que se manteve firme na defesa de seus direitos e garantiu a greve mais longa da categoria. Agora começa uma nova etapa e  esperamos que a empresa cumpra o acordo. É fundamental que todos os jornalistas da RAC em Campinas e em Piracicaba se unam ainda mais ao Sindicato para que possamos ter mais força”, afirma José Eduardo de Souza, secretário do Interior do SJSP.

Exemplo de combatividade

Presidente do SJSP, Paulo Zocchi destaca que a greve dos jornalistas da RAC é um exemplo para toda a categoria. “É exemplo de luta, de resistência, de combatividade em defesa da dignidade dos jornalistas e dos direitos trabalhistas. Esperamos que seja uma referência para a categoria como um todo sobre como enfrentar o desrespeito e o descaso das empresas de comunicação com a nossa profissão e com nossos profissionais”.

O sindicalista recorda que foram dois anos de atrasos de pagamentos nos quais os jornalistas organizadamente, com apoio do Sindicato, buscaram diálogo e negociação para que a RAC honrasse os salários e benefícios devidos a seus trabalhadores, mas a empresa desrespeitou acordos anteriores firmados junto ao TRT15-Campinas para quitação dos débitos.

Neste acordo que colocou fim à greve, toda a dívida está registrada e a empresa se comprometeu legalmente junto à Justiça do Trabalho com o pagamento de uma multa de 100% do valor devido caso não cumpra com o que foi acordado.

Zocchi explica que “o acordo não foi o ideal porque a greve foi iniciada pelo pagamento imediato de tudo o que estava atrasado, o que não foi conquistado. Porém, temos que levar em conta que o movimento foi parcial e que conseguiu ir tão longe graças, sobretudo, à organização, à coesão e à combatividade dos trabalhadores envolvidos  nessa luta”.

Solidariedade e conscientização

Nesses quase 240 dias de greve, a solidariedade é outro exemplo da paralisação. O Sindicato dos Jornalistas criou um fundo de greve para auxiliar no pagamento emergencial de despesas dos grevistas, com contribuições recebidas da categoria e também pelos que não são jornalistas, mas que se solidarizaram com a situação.

Ao longo de toda a mobilização, foram realizados vários eventos apoiados pelo SJSP com arrecadação voltada ao fundo de greve, tais como a Galinhada Solidária, em 28 de fevereiro, o Som da Resistência, em 19 de março, e a Feijoada Solidária, em 21 de julho, além do Bazar da Amizade realizado por vários meses.

Para Marcos Rodrigues, diretor da Regional Campinas do Sindicato, a experiência da greve em si e a conscientização dos trabalhadores são aprendizados que também representam um saldo positivo do movimento grevista.

“É pouco dizer que é heroica a greve desses homens e mulheres por quase oito meses. Eles resistiram mesmo quando a empresa começou a descontar os dias parados, passaram por toda a sorte de privações na vida pessoal e dependeram da solidariedade de outras pessoas para defender o básico, que é o direito de receber os salários de um trabalho do qual dependem para sobreviver”, avalia o diretor.

Ainda segundo Rodrigues, “toda luta é valida, ainda que o resultado não seja o esperado porque a expectativa era pelo pagamento imediato da dívida toda. Outro ponto importante é que a greve foi vitoriosa na medida em que plantou uma semente nos que não aderiram à paralisação, pois viram que patrão não é ‘bonzinho’, não. Mesmo sendo jornalista, o patrão está do outro lado da trincheira e não é nosso colega como alguns achavam até então”, conclui.

Confira as notícias divulgadas pelo Sindicato ao longo da greve dos jornalistas da RAC: 
Campinas: RAC assina acordo para pagar salários e benefícios em atraso
Jornalistas conquistam acordo na RAC após 7 meses em greve
Apoie os grevistas da RAC; paralisação completa mais de 200 dias
Campinas: grevistas da RAC realizam protesto
Rádio Brasil Atual destaca greve na Rede Anhanguera de Comunicação
Grevistas da RAC promovem Feijoada Solidária no dia 21
Correio Popular: RAC suspende plano de saúde
Greve no Correio Popular: jornalistas fazem abaixo-assinado para pressionar empresa
Correio Popular: greve completa 100 dias e jornalistas contam com apoio da categoria
RAC tem cinco dias para quitar dívida com jornalistas
Grevistas do Correio Popular conquistam vitória no TRT
Maio tem Bazar da Amizade em prol dos grevistas da RAC
Jornal Unidade destaca greve histórica na RAC
Colabore com o fundo de greve dos jornalistas da RAC
Greve completa 80 dias no Correio Popular
Jornalistas esperam decisão judicial para receber salários atrasados
Greve na RAC: Bazar da Amizade até o final de abril
Jornalistas da RAC protestam contra atrasos de pagamentos
Greve na RAC: jornalistas cobram celeridade no julgamento
Greve na RAC não é abusiva, afirma MPT
Correio Popular: pela segunda semana, RAC não paga trabalhadores
RAC descumpre acordo outra vez e não paga trabalhadores
Greve na RAC: Bazar da Amizade é até sábado (24)
"Som da Resistência" em apoio aos grevistas da RAC é nesta segunda (19)
Correio Popular: greve dos jornalistas completa um mês
Correio Popular: jornalistas continuam em greve após 24 dias
Jornalistas da RAC fazem bazar com arrecadação ao fundo de greve
Greve completa 20 dias no Correio Popular; salários estão em aberto desde dezembro
Audiência de greve do Correio Popular termina sem acordo
Apoio e solidariedade marcam “galinhada” dos grevistas da RAC
Crescem apoio e solidariedade aos grevistas da RAC
Vereadores de Campinas apoiam jornalistas em greve na RAC