banner-site-sindicalize-se

Ter, 06 de Setembro de 2016 21:35    PDF Imprimir E-mail
Jornalistas denunciam perseguições da PM

Fotógrafos e cinegrafistas de mídias alternativas são alvos de agressões e violência psicológica fora das coberturas jornalísticas 

argaiv1316

arfoc_jornalistas_agressao

Jornalistas de imagem da mídia alternativa e de coletivos independentes discutiram ações de enfrentamento à violência policial contra o trabalho dos profissionais, em reunião promovida na noite desta segunda-feira (5) pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) e pela Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos no Estado de São Paulo, na sede do SJSP, no centro da capital.

Os fotógrafos e cinegrafistas relataram que há não só os casos de agressão física ocorridos durante as manifestações, mas denunciaram que têm sofrido pressão, violência psicológica e perseguições da Polícia Militar no dia a dia,  até mesmo fora das coberturas jornalísticas. Por terem denunciado agressões da PM, há profissionais que foram procurados em casa por policiais à paisana.

Segundo os jornalistas, a PM do governador Geraldo Alckmin (PSDB) está identificando os profissionais da mídia alternativa por incomodarem o governo estadual divulgando a repressão policial -  sobretudo por meio da ampla visibilidade promovida por fotógrafos e cinegrafistas nas redes sociais.

Os diretores do Sindicato e da Arfoc-SP ficaram preocupados com os relatos e os jornalistas foram orientados a registrar Boletim de Ocorrência das agressões.

Após quase três horas de debates, foi aprovado que o SJSP fará denúncia da violência da PM contra os profissionais de comunicação junto à Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ). O Sindicato também vai solicitar audiência com o governador Geraldo Alckmin para discutir os casos e vai divulgar os relatos de violência no site e mídias sociais da entidade.

“A internet pode fazer com que a gente viralize essa revolta. Nossas redes sociais e canais de comunicação têm que ser meios de reproduzir as denúncias da melhor maneira possível porque não são casos isolados, de uma pessoa. O que está se ferindo é o jornalismo e temos que trazer todo mundo para essa briga”, destacou Marcos Alves, presidente da Arfoc-SP.

Polícia da ditadura - Outra medida aprovada é buscar diálogo com o Ministério Público do Estado de São Paulo. Por meio de processo judicial em andamento, o órgão pretende combater a violência contra os jornalistas com a adoção de um protocolo pela PM. 

O presidente do SJSP, Paulo Zocchi, explicou que o Sindicato concorda com a adoção de um protocolo, mas considera a medida um paliativo de curto prazo, pois o que a entidade defende é um modelo de polícia desmilitarizada, que proteja os cidadãos e promova a segurança pública.

“A solução de longo prazo é acabar com essa polícia militarizada, forjada na ditadura, que vê os manifestantes como inimigos, em que o jornalista é visto como se estivesse no meio de tropas inimigas”, criticou.

Entre outros encaminhamentos, os participantes da reunião aprovaram, ainda, a realização de debates para discutir proteção física, apoio psicológico e orientações jurídicas aos jornalistas.


Orientação do Sindicato dos Jornalistas:
- os profissionais de comunicação vítimas de violência da PM devem registrar Boletim de Ocorrência por crime de abuso de autoridade policial e lesão corporal, informando a identificação do agressor e apresentando testemunhas ou provas;
- informar o registro do Boletim de Ocorrênmcia ao Sindicato pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ;
- é uma obrigação da polícia registrar o Boletim de Ocorrência.

 

Expediente

Portal Oficial do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

 

Presidente

Paulo Zocchi

Secretária de Comunicação 

Lílian Parise

 

As matérias assinadas não representam necessariamente a opinião da diretoria.


Editora
: Flaviana Serafim

Designer: Victor Paoluk


Contatos

Tel:(11) 3217-6299

Fax:(11) 3256-7191

e-mail: jornalista@sjsp.org.br

Facebook: http://www.facebook.com/SindicatoJornalistasSP

Twitter: http://twitter.com/JornalistasSP

Entidades parceiras

fenaj_186x44

cut_469x154

fij_140x140

Endereço

Rua Rego Freitas,530 - Sobreloja
Vila Buarque - SP - CEP: 01220-010
Fone: 11 3217 6299

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.

Mantido por Pandora
ankara escort bayan ankara escort ankara escort beylikdüzü escort taksim escort pendik escort kurtköy escort şişli escort mecidiyeköy escort mobil porno kayseri escort rus porno altyazılı porno ankara escort bayan